A dúbia palavra CUBA

Sempre tive vontade de sintetizar alguns raciocinios sobre o país Cuba. Agora Cuba deu-me o motivo ou Fidel deu-me o motivo ou o motivo deu-me o motivo.
Provavelmente a ilha que causa mais misterio e contradição, depois do espaço Lost, obviamente. A ilha tem uma população proxima á de Portugal e uma dimensão geografica semelhante.
Visitei Cuba em Dezembro de 2004, nessa altura fiquei deverás bem impressionado com o país e as pessoas. De toda a parte do mundo o melhor é sempre as pessoas, e Cuba não foge à regra. O Cubano por norma é interessante e interessado.
Interessante porque o indice de educação, formação e cultura são caracteristicas que saltam á vista. Interessado por existe uma explicita economia paralela que fomenta o mercado negro em toda a sua plenitude.São pessoas com salero, com musica no corpo, com rum nos copos, com reservas nas palavras, com charutos nos labios.
Entre os cubanos existe um mundialmente conhecido e reconhecido, Fidel Castro.

Fidel o dito comandante-em-chefe, que tive oportunidade de ouvir durante 3 horas, aquando da sua ultima visita ao Porto, é um individuo carismatico e pragmatico. Não me restam duvidas absolutas que teve de negligenciar seus companheiros mais tolerantes (chamo-lhe assim), para ter o poder pleno ou democraticamente pleno. Casos como os de Hubert (explicito) e Cienfuegos (implicito) são apenas meros exemplos da caminhada fulgurante do comandante. As contradições serão faceis de encontrar, mas quem as não tem? Mas dizer que nao é comunista e passados dois anos dizer que é marxista-leninista. é uma contradição ligeiramente contraditoria.
A criacão dos CDR ( Conselhos Democraticos do Regime ) ou ( Comite de Defesa da Revolução ) são o culminar expoente do poder democraticamente permissivo.
A pena de morte e a sua aplicação sobre reserva são mais uma preocupação que me afronta. Para não falar do partido unico e consequente inexistencia de eleicões pluri-partidárias. O regime é complexo, sao claros fenomenos de culto de personalidade ou fidelidade, são obvias as faltas de direitos, garantias e liberdades individuais.
E liberdade é liberdade e pão é pão.

Decerto que nao existiram só elementos negativos em Cuba, nem é meu objectivo sobrevalorizar esse caracter depreciativo deste sistema, é obvio que Cuba é um oasis em toda a America Central . Os indices de Educação deste povo é algo impressionante, a sua visão geo-politica do mundo e suas posições internacionais, a sua cultura suis generis, e a Saude como ex-libris de toda uma sociedade. A inteligencia e empreendorismo são caracteristicas que saltam à vista. É uma sociedade mais justa que a portuguesa, o fosso entre ricos e pobres é inexistente. Os bens que existem, sejam muitos ou sejam poucos, são para os beneficiarios todos. A estratificação social é quase irrelevante, ainda existem classes, mas são outras...
A forma com lidam com um gigante imperial como EUA, é um motivo de orgulho para os Cubanos, com ou sem embargos, com ou sem CIA, com ou sem ingerência americana, com ou sem Perestroika, eles se mantêm a escassos kms de distancia geografica e a milhares kms de solidariedade social e humana. De Varadero vê-se Miami e vice-versa suponho, embora uma visão amplamente distinta. O oportunismo norte-americano é um exercicio de soberba e falso moralismo sobre este pais soberano, proximo mas soberano.
.

Numa conversa entre muitas que mantive com um cubano descedente de portugues, que trabalhava no Villa Cuba, um hotel 4 estrelas de Varadero, questionando-o sobre a continuidade do regime me respondeu em castelhano cachucho “ Amigo, hay muchos Fideles por acá ” - o que significa que existe muitos cubanos que compartilham as opções deste regime, embora nem todos trabalhem com turistas.

No entanto existem perguntas que nao consigo encontrar respostas, ou simplesmente nao quero encontrar respostas, a saber:
Será que existe uma posição mediana, uma especie de terra de ninguem - sem ser pró-Fidel e sem ser pró-EUA?
Será que Cuba se tivesse alguma abertura democratica ainda existiria da forma actual?
Nao será democratico que quem nao concorda com o regime se organize para criar mecanismos para modificar o que legitimamente pensam que está errado?
Será correcto a passagem do poder, ainda que momentaneamente para o irmao Raul, tipo monarca norte coreano?
Será que é que é correcto chamar ditador a Fidel e PIDE à CDR, quando a pena de morte é aplicada a quem tenta modificar o sistema?
Será que os EUA preferem uma Cuba de putas e jogo ou uma Cuba dita democratica?
Será que Cuba Vencerá? Ou os Cubanos venceram?

Mais um contributo....

0 bitaite(s) sobre “A dúbia palavra CUBA”

Enviar um comentário

Procura aí

Esbloga-mos fm

Estão a esblogar

Já esblogaram



XML

Get Firefox!
 Use OpenOffice.org
Get Amsn!