The new labour

Tony Blair contratado pela Zurich como conselheiro para questões internacionais


O antigo primeiro-ministro britânico e actual representante do Quarteto (Estados Unidos, União Europeia, Rússia e Nações Unidas) para o Médio Oriente vai assumir as funções de conselheiro paras as relações internacionais e para as questões ambientais da Zurich Financial Services (ZFS), noticiou ontem, em comunicado, a empresa suíça da área de seguros.
"[Tony] Blair vai aconselhar o director-geral James Schiro e dar-lhe o seu apoio quanto aos desenvolvimentos e tendências do ambiente político mundial", especificou o comunicado da ZFS, citado pela AFP, acrescentando que a cooperação estender-se-á às questões ambientais.
Citado no comunicado da ZFS, Blair afirma que "existe hoje um con-senso quanto à realidade das mudanças climáticas. São necessárias soluções políticas para transformar em actos essa tomada de consciência"
A ZSF recusou-se a revelar pormenores sobre os honorários do homem que chefiou os destinos da Grã-Breanha entre 1997 e 2007 e que tem sido apontado como um dos mais sérios candidatos ao futuro cargo de Presidente da União Europeia.
No princípio deste mês, no dia 10, Blair aceitara o cargo de conselheiro a tempo parcial do banco norte-americano JP Morgan. De acordo com uma empresa nova-iorquina de recrutamento, citada pelo Financial Times, Blair, de 54 anos, receberá uma remuneração de aproximadamente um milhão de dólares (681 mil euros) daquele banco.
Tony Blair confidenciou recentemente ao Financial Times que estava disponível para aceitar alguns lugares do mesmo tipo em empresas de diferentes sectores.
O mesmo jornal refere que Blair recebeu recentemente um adiantamento de dez milhões de dólares (6,8 milhões de euros) para escrever as suas memórias. A exemplo de outros ex-chefes de Estado, Blair tornou-se um conferencista internacional de primeira linha. Segundo a imprensa chinesa, terá recebido meio milhão de dólares por participar numa conferência na China.
Entretanto, o antigo inquilino de Downing Street foi também nomeado, ontem, para a categoria de Vilão do Ano dos prémios do jornal britânico New Musical Express, a par de Gordo Brown, George W. Bush e da cantora Amy Winehouse.
Este é o segundo cargo no sector privado aceite este ano pelo actual representante do Quarteto para o Médio Oriente

In Jornal Público de 29.01.2008

Etiquetas:

0 bitaite(s) sobre “The new labour”

Enviar um comentário

Procura aí

Esbloga-mos fm

Estão a esblogar

Já esblogaram



XML

Get Firefox!
 Use OpenOffice.org
Get Amsn!