Um CDS mais sexy

o espírito de Bolonha

Manuel José dos Santos Silva, reitor da UBI
“Bolonha há muito que aconteceu na nossa universidade”


Onde se paga por tudo e não se aprende nada

A força do Alentejo

boa tarde a todos

tou na organização do Forum Digital da Confederacção das Colectividades e quero partilhar este post colocado por um companheiro do Alvito, em relação ao projecto 2001 Associações e a Rede Associativa.

"Ao Mirantense e a todas as colectividades de Portugal um abraço do Clube da Natureza de Alvito!
Bem, no coração do Alentejo, aqui continuamos a resistir para que o sentimento associativo, sucessor do antropológico sentimento gregário humano, não se dilua nesta nossa sociedade.
A ofensiva dos grandes poderes económicos tem sido intensa, a nível da propaganda, para que o ser humano retorne à sua condição animal (responder só de forma instintiva, sem a razão estar presente) e, nós devemos estar atentos a todas essas iniciativas do Inimigo para podermos responder com as nossas armas - a solidariedade, a humanidade, a amizade e todas as formas de relacionamento saudável com o próximo, criando uma "rede" que derrote esses grandes interesses económico-financeiros.

Nos por cá vamos trabalhando com a infância e a juventaude tentando dotá-los de instrumentos mentais que lhes facultem um pensamento crítico para não se deixarem alienar pelos "Morangos com açúcar" e pelo Futebol, nova versão (pouco diferente) dos três F's de antigamente (Fado, Futebol e Fátima).

Até já!
Saudações associativas"
E quem escreve assim....
Abraços a todos
Saudações
BR

bem vindo Rui...

Rui Costa


página de entrada do site do Milan a 26/05/06

"SUPER TIMOR"



Cliquem para ver um anúncio publicitário da Costa do Marfim, dos anos 70, sobre um mata moscas chamado "Super Timor".

De facto com moscas varejeiras como Ramos Horta, Ximenez Belo, Xanana Gusmão, a pandilha Australiana, Indonésia, Norte Americana, mais os senhores das companhias petrolíferas, etc. e etc. ...que falta faz um "super timor" deste género...



gentilmente enviado por BR

Maternidades...

rdypi fr trddsvs

O Guy errado....

O nosso amigo e estrela improvisada, Guy Goma estudante Congolês de Gestão, foi à BBC para uma entrevista de emprego...

Até aqui tudo normal, o problema é que o produtor do telejornal, quando chegou a hora da entrevista sobre download de música na internet, foi à sala de espera chamar o entrevistado, Guy Kewney especialista em música digital e... chamou o Guy errado!!!

O resultado foi o que se vê:



Nota-se que o gajo se engasga no principio, mas depois pega-lhe cá de uma maneira e com uma calma! Espero que tenha conseguido o emprego.


visto aqui e retirado daqui

Onde andas?

Palavras Submersas


A Bruxa Teatro apresenta “Palavras Submersas” de Jorge Diaz, com encenação de Rui M. Silva e com interpretação de CARLOS CALVO e Celino Penderlico.

13, 17 e 31 de Maio e 1, 2 e 3 de Junho, às 21:30 no ex-Celeiros da EPAC, rua do Eborim, Évora

A história de dois Homens que, presos numa caserna, esperam “a sua hora”. Homens que, tal como muitos outros, ali estão sem explicação, sem razão de ser. O simples facto de pensarem e/ou agirem de forma diferente, levou-os ao encarceramento. Dois Homens que encontraram no poeta e no sonhador, uma maneira de ultrapassar e “aceitar” a sua história. Uma História contada, vivida e sonhada por dois Homens, Abel e Ulisses, onde no fim, só restam as palavras. Como Ulisses disse uma vez: “(...) As palavras importam sim. As palavras são única coisa que importa.”.

Um texto com uma enorme carga dramática, onde o sonho, a esperança e a vontade de viver “outra vida”, nos acompanham desde o inicio até ao fim. Duas personagens que já não existem, mas com uma história para “contar”.

Chile, madrugada de terça-feira, 11 de Setembro de 1973, em Valparaíso- principal porto chileno, a pouco mais de cem quilómetros de Santiago do Chile- a Marinha começa o golpe, seguindo-se o levantamento das guarnições do Exército, da Força Aérea e dos Carabirenos (...)

Perto das catorze horas, depois do Palácio de La Moneda ter sido bombardeado pela aviação (...) e tendo recusado liminarmente a rendição, Salvador Allende caiu do seu posto. O dia terminou dando a conhecer ao mundo os sinistros rostos dos criminosos, todos de óculos escuros, destacando-se o do odioso carrasco-mor, Augusto Pinochet (...)”

Mais informação aqui.

O mundo não pára de girar!!!!!!!!


Tenho de confessar que escrevo este post um pouco ainda no calor da noticia, mas ....
Hoje recebi uma noticia que me fez dar conta que, apesar de haver manifestações, massacres, prémios nobel e terramotos, quando acordamos o sol está no mesmo sitio, o que não significa apenas que começou um novo dia, mas sim que o mundo girou. Ele gira e não vale a pena tentar que ele pare!!! Ele gira, assim como os acontecem as coisas boas e as coisas más, elas ficam a pertencer ao dia que passou, trazendo consequencias para os proximos. Hoje o meu tremeu e tremeu e so vai parar de tremer quando me abituar a ideia de não vale a pena tirar fotos, congelar e guardar. Amanhã o sol vai estar na mesma posição e mais um dia vai passar.

Onde é que isto vai parar


Não percebo, qualquer dia um gajo vai a uma casa de banho publica e pararece um gajo da marca de slips que estamos a usar para nos pergundar se estamos satisfeitos com o produto.

A notícia pode ser lida em: http://ciberia.aeiou.pt/?st=4702

Levi's acusada de violação de privacidade


A Levi's esteve a testar o uso de etiquetas de identificação por rádio-frequência em roupa que colocou em lojas dos Estados Unidos e México. A experiência motivou protestos das associações de defesa dos direitos de privacidade.

A Levi Strauss & Co. esteve a testar o uso de etiquetas de identificação por rádio-frequência (RFID) em peças de vestuário que colocou em três das suas lojas - duas no México e uma nos Estados Unidos.

Depois de a notícia vir a público, a fabricante de jeans garantiu que os testes tinham como objectivo permitir a localização das peças em stock, e não de quem as usava.
Segundo o porta-voz da marca, as peças que incluíam este tipo de etiquetas estavam sinalizadas, sendo que estas eram fáceis de retirar.

O que é certo é que, apesar de a empresa ter assegurado que não pretende implementar esta tecnologia nas suas colecções, a suspeita ficou no ar.
A medida valeu-lhe igualmente queixas de várias associações de defesa dos direitos civis, que advogam que o uso da tecnologia, seja com que propósito for, é uma ameaça para a privacidade.
Teoricamente, se quem comprar roupa com estes identificadores não os remover, alguém com um leitor apropriado pode localizar os seus movimentos, bastando-lhe para isso seguir... as suas calças de ganga.

O anúncio da Levi's surge numa altura em que se está a formar um grupo de trabalho - liderado pelo CDT (Center for Democracy and Technology), que integra responsáveis de grandes empresas, como a IBM, Intel, Cisco, Microsoft, VeriSign, Visa e a Procter & Gamble - para delinear um manual de boas práticas para o uso do RFID.

Festival da Canção







Estamos em semana de festival da canção e como, mais uma vez, vamos parar aos últimos lugares.

Aqui fica a recordação da única vitória de um concorrente português, no longínquo ano de 1980, de seu nome Tony Ferrino.

Se procurar mais informação sobre este fenómeno que passou quase despercebido em Portugal, clica aqui, ou aqui, ou aqui ou ainda aqui.

Madrid, 12 de Maio


mais fotos aqui.

Cinema # 002

Mais um filme mais uma viagem, desta fez uma nova incursão no espectro hipnotico do mestre Ferrara. O filme é Mary, que na tradução portuguesa a respectiva, Maria Madalena. O último filme de Abel Ferrara que vi foi o X´mas, uma longa-metragem hipócrita sobre o espírito natalício. Mas ficarei pelo Mary, com o obvio respectivo Maria Madalena. Os planos do filme são coerentes, tem bons jogos de luz e de movimento. A direcção de actores é inconstante ou inconsequente, embora não tenha noção de que isso aconteça de forma negligente. A música é leve, despercebida e invisível. O que achei mais interessante foi o argumento. É de facto muito complexo, mas amplamente sugestivo. É um exercício de retórica bestial, abrindo sempre janelas nas portas. Questiona, empurra a questionar o mais crédulo questionamento sobre o Cristianismo. Mais não digo, vão ver, para poderem dizer.

Porque não estamos só

Declaração de Bakaiku

Contexto

Nós, estudantes provenientes de diferentes lugares da Europa, reunimo-nos em Bakaiku no Fórum Europeu de Estudantes; um fórum decidido organizar anteriormente no Encontro Ibérico de Estudantes realizado em Madrid.

Nós, estudantes com diversas realidades, encontramo-nos em Bakaiku, uma pequena localidade, longe dos centros de poder, já que acreditamos na construção desde a base; acreditamos que muit@s pequen@s somam mais que um@ qualquer grande.

O Espaço Europeu de Ensino Superior foi desenhado para e subordinado a interesses mercantis de corporações multinacionais, as quais influenciaram decisivamente no impulsionar de uma reforma do Ensino Superior à sua medida: com elitização, mercantilização e privatização. A Europa que sai do Processo de Bolonha é a Europa submissa a organizações supranacionais como a OMC e o seu Acordo Geral de Comércio de Serviços, a OCDE, a União Europeia e o Banco Mundial e as suas Directiva Bolkenstein e Estratégia de Lisboa.

Une-nos, por tanto, a resistência à imposição da Europa do capital e do patriarcado, antidemocrática e neoliberal. Entendemos o processo de Convergência Europeia como uma ofensiva capitalista e neoliberal que supõe uma agressão aos direitos d@s estudantes e das comunidades em que participam, principalmente o direito à Educação. A Universidade da Convergência Europeia é uma fábrica de trabalhador@s desqualificad@s e sem direitos, adaptáveis a um mercado caótico e completamente desligado das necessidades sociais em benefício dos interesses privados.

Como ferramentas subordinadas aos organismos supranacionais, os Estados são os encarregados de materializar esta reforma que transforma os direitos de cidadania em espaços de negócio; os serviços públicos submetidos a critérios de rentabilidade social em meras agências submetidas a critérios de rentabilidade mercantil para interesses privados. Noutra escala, é em cada universidade e faculdade onde é concretizada esta reforma, sendo assim, desta forma, estes os espaços onde este ataque deve ser também contestado e revertido.

Declaramos que

A Educação deve estar ao alcance, ao serviço e nas mãos de toda a população.

É por isso que nos opomos aos processos de privatização e mercantilização da Educação, partindo da premissa de que a Educação é um direito universal. Recusamos, por tanto, todas as medidas que suponham uma elitização da Educação.

A Universidade que necessitamos é uma Universidade Pública, Democrática e Popular.

• Pública: porque deve ser um espaço aberto a tod@s, que tenha de ser financiado pelo bem comum e para o bem comum, e por tanto, isenta de barreiras.

• Democrática: porque acreditamos numa Universidade onde as decisões sejam tomadas de forma horizontal e transparente. A sociedade tem de envolver-se no funcionamento da Universidade e esta deve responder às suas necessidades.

• Popular: porque a Universidade deve estar ao serviço das pessoas e não das empresas e da economia privada; com uma função crítica, transformadora, não discriminatória, inclusiva, emancipadora, laica e coeducativa. Necessitamos de uma Educação que faça o caminho até uma sociedade livre, justa, igualitária e respeitosa com o meio ambiente.

Da mesma maneira, opomo-nos à homogeneização promovida pelo processo de Convergência Europeia. Para garantir o respeito e o desenvolvimento das diversas realidades e identidades, assim como o direito à diferença de cada povo há que ter em conta o direito de constituirem democraticamente e visando o seu progresso colectivo, o seu próprio sistema educativo, que responda às suas necessidades sociais, culturais e políticas.

Esta Universidade para esta sociedade choca necessariamente com a precarização generalizada das condições materiais de vida d@s estudantes.
Enfrentar a precariedade é condição necessária para defender o direito a condições de estudo dignas para tod@s @s estudantes, pondo no centro as capacidades cooperativas para uma Universidade útil para a realidade social na qual esta se inscreve.

É por isso que exigimos

• A abertura de um necessário debate amplo e aberto entre toda a comunidade universitária e a sociedade sobre o modelo educativo que necessitamos.

• É necessária a imediata paralização das leis que aplicam o Espaço Europeu de Ensino Superior, a retirada do Processo de Bolonha e a dissolução dos organismos não democráticos e a sua substituição por outros organismos democráticos e horizontais.

• Para efectivamente se concretizar o direito à Educação, consideramos imprescindível a supressão de todas as barreiras e filtros que dificultam o livre exercício do mesmo, sejam estas barreiras económicas, administrativas, académicas, culturais ou de qualquer outra índole. Tornam-se urgentes medidas que isso possam garantir.

• Afirmar as Universidades como serviço público e espaços de cooperação e pensamento crítico, assim como recusar a precariedade, leva-nos a exigir a expulsão das empresas da Universidade e a desmercantilização de todos os serviços que nelas se prestem.

• A Convergência Europeia pode ser detida, a Europa dos mercadores só poderá ser levantada sobre a submisisão e o silêncio. Não será esta a primeira vez na qual os poderosos tropeçam com uma série de fenómenos de contrapoder, não será esta a primera reforma da Universidade que volta às gavetas dos banqueiros. É necessária, assim mesmo, a articulação e organização do movimento estudantil.

Nenhum direito jamais foi oferecido, nenhuma melhoria foi conseguida pelos povos sem lutarem por ela. A luta é o único caminho.

Bakaiku, Euskal Herria
26 de Março de 2006
Fórum Europeu de Estudantes

retirado de http://www.gaztesarea.net/bereziak/ikaslegailurra/?page_id=62

outros sítios com informação útil:
http://www.jcp-pt.org/publicacoes.php?ref=32
http://www.jcp-pt.org/documentos.php?id=50
http://pararbolonha.blogspot.com/

Dúvidas não existenciais

Porque é que?


No café a televisão está sempre ligada na TVI.

No café o jornal que temos para ler é o Correio da Manhã.

Nos autocarros da Rede de Expressos o rádio está sempre sintonizado na RFM.

esbloga-mos and the flying cup

Alteração na classificação

Beneficiando do empate do 2º de Agosto,
1º de Agosto isola-se na liderança.


Classificação:

1º de Agosto - 38 pontos
2º de Agosto - 36 pontos

3º de Agosto - 32 pontos

..........

29º de Agosto - 12 pontos

30º de Agosto - 10 pontos

31º de Agosto - 10 pontos

Não ao download i legal

Palavras para quê



"Se da droga abusas-te,
vais parar ao Patriache!

Ãn, ganda rima..."


Era drogado,

Andava sempre pedrado

Maltratava minha mãe

Pobre velhinha,

enrugada mirradinha

Que só queria o meu bem

Bati no fundo,

Fui até ao fim do mundo

Mas não chegava a ser um cão

Trabalho nada,

Vendi minha namorada

Meu vício era ladrão


Drogado, cuidado!


Num dia feio

Ia eu pelo passeio

Apareceu uma criança

Olhou para mim ,

E depois disse-me assim:

"Não percas a tua esperança

Eu sei quem tu és"

Vê as chagas dos meus pés

Vê a ferida do meu peito
Morri na cruz
O meu nome é Jesus

O meu pai filho perfeito


Drogado, cuidado!


La, la, la, la la


Deu-me um beijinho,

e seguiu o seu caminho

E eu fiquei a soluçar

Disse para mim,

"Isto tem que ter um fim,

Minha vida vai mudar"

Sofri horrores,

Tive frios e tive dores

Mas venci o inimigo

Porque sabia,

que o filho de Maria

Estaria sempre comigo


Drogado, cuidado!

u, u, u, u


Tem cuidado ó drogado...



Se onde bebes café não há o Correio da Manhã, clica aqui

ofensiva contra a ignorância


Partilho convosco um excerto do livro "Alocução ao Povo de Fuente Vaqueros" a propósito da inauguração da biblioteca na terra-natal de Federico García Lorca.

...sobre a importância do livro e de como este pode ser uma arma contra a ignorância que nos injectam pelo ecrã... continuamos na luta, pois claro!!!

Abraços

Jogo | Passatempo | Distracção

Descobre onde não está o Laurentino

Joga aqui


Procura aí

Esbloga-mos fm

Estão a esblogar

Já esblogaram



XML

Get Firefox!
 Use OpenOffice.org
Get Amsn!